Início FoodDa Época ALCACHOFRAS

ALCACHOFRAS

by Food and Travel Portugal
versatilidade da alcachofra

Este atraente e intrigante membro da família dos cardos é um verdadeiro sinal do verão

Emma Baker

 

O bolbo verde é a primeira coisa a surgir logo no início da estação, com os seus matizes esmeralda. As flores brilhantes e os centros doces atraem logo as abelhas ao jardim.

Comer uma alcachofra é como desembrulhar um vibrante e delicioso pacote, ainda que fechado por uma armadura rígida. Cada pétala traz um sabor a nozes, ou mais agridoce, ou mais fresco, e termina com espinhos que fazem lembrar a família dos cardos, à qual pertence. Retire as pétalas e vá mordiscando o miolo – não há uma maneira apressada de comer este vegetal. Por fim vai chegar ao tenro coração, não sem antes transpor a barreira final: o sufocante caule peludo da flor do cardo que deve ser cuidadosamente arrancado com a ajuda de uma faca.

Originária do Mediterrâneo e norte de África, a alcachofra (cynaras colymus) já foi a estrela dos jantares nos anos 70. Agora, de volta aos menus de verão, encontra-se facilmente nos mercados e nas grandes superfícies. O miolo é a parte comestível e as pétalas que ganham um tom azul-violeta deslumbrante são lindas de ver mas muito rijas para comer.

Diz a lenda que Zeus, deus dos deuses grego, rejeitado por uma jovem mortal chamada Cynara, a transformou numa linda flor de cardo. Talvez esta história confirme o mito antigo de que a alcachofra é um poderoso afrodisíaco; ideia tão enraizada que até ao século XV, em Itália, só aos homens era permitido comer o vegetal.

Uma alcachofra fresca, independentemente da variedade, deve parecer pesada para o seu tamanho. As pétalas são alinhadas como uma pinha e devem “ranger” quando apertadas umas contra as outras. Para preparar um prato saboroso, deve cortar o topo das alcachofras (por baixo do coração elas têm um miolo macio e delicioso). A seguir retire os espinhos e as pétalas mais rijas. Segundo algumas opiniões, quanto mais duras as pétalas, mais substancial será o coração.

Uma vez cortadas, as alcachofras oxidam rapidamente em contacto com o ar. Para o evitar, misture água com sumo de limão e mergulhe as alcachofras enquanto não vão ao lume. O método mais simples para cozinhar alcachofras é cozê-las em água quente com sal e limão por 20-30 minutos, dependendo do tamanho. As pétalas saem facilmente com a cozedura e o aroma é forte e quase ácido. Existem variedades com formas e tamanhos diferentes e nem sempre as maiores são as melhores. Normalmente as alcachofras pequenas são pouco fibrosas e mais rápidas a cozer.

A enorme versatilidade da alcachofra faz dela uma espécie de alimento básico. Pode ser estufada, assada, frita, guisada, grelhada ou feita no vapor; pode acompanhar ou ser acompanhada. Em Itália serve-se com crispies de pancetta, enquanto em França é simplesmente acompanhada por um vinagrete. Em Portugal, consome-se entre Maio e Julho, normalmente temperada com azeite e limão.

 


SABIA QUE…

⇒ Em 1948 uma quinta de alcachofras criou um anúncio publicitário a coroar a jovem atriz Rainha das Alcachofras: chamava-se Norma Jeane Dougherty, mais tarde conhecida por Marilyn Monroe
⇒ Um pé de alcachofra pode chegar a mais de 1.50m de altura e quase 2.50m de largura. Uma planta assim pode produzir até 20 alcachofras por ano.
⇒ Muito popular no Vietnam, o chá de folhas e flores de alcachofra ajuda à digestão e ao funcionamento do fígado
⇒ Uma alcachofra média contém mais fibra do que uma chávena de ameixas

 

 

 

 

RECEITAS:

CORAÇÕES DE ALCACHOFRA FRITOS

ALCACHOFRAS NOVAS COM SALADA DE ESPINAFRE E OVOS DE CODORNIZ

ALCACHOFRAS BARIGOULE

CORAÇÕES E ALCACHOFRAS NOVAS COM AIOLI

ALCACHOFRAS ESTUFADAS COM MOLHO VERDE

Veja outros artigos