Home Travel48 horas BILBAU, ESPANHA

BILBAU, ESPANHA

por Food and Travel Portugal
BILBAU, ESPANHA

Esta beleza Basca possui uma arquitetura marcante, praias magníficas, um dos melhores museus do mundo e uma identidade gastronómica única, como confirmou Imogen Lepere

Artigo publicado em julho 2017

Porquê ir?

Conhecido por ser apaixonado e orgulhosamente independente, o povo basco é um enigma. Embora o seu país não-oficial se localize entre o Norte de Espanha e o Sudeste de França, a linguagem impenetrável dos seus habitantes, com raízes indo-europeias, está longe da dos seus vizinhos. Os residentes, usando boinas do tamanho de pratos, gostam de dizer que o próprio Diabo passou sete anos a tentar – e a falhar – dominar a sua língua materna. Com uma história de 700 anos, Bilbau deixou de ser uma cidade de comércio no Golfo da Biscaia e tornou-se um ponto de referência industrial. Agora disfruta de um renascimento, de um cenário artístico próspero e de alguma da arquitetura mais experimental da Europa. Mas o que permanece constante é a tradição e uma paixão quase fanática pela comida. Os habitantes locais irão dizer-lhe que a cozinha basca é a melhor do mundo e, depois de experimentar os pintxos (tapas locais servidas em rodelas de pão), vai concordar com eles.

A famosa estátua ‘Maman’, de Louise Bourgeois, no exterior do Guggenheim

O que fazer?

O Museu Guggenheim teve um papel importante na divulgação da cidade de Bilbau. É uma estrutura fantástica, desenhada pelo arquiteto Frank Gehry, coberta por escamas prateadas reluzentes. No interior, instalam-se 19 galerias em conjunto com o que afirmam ser a maior escultura monumental da História, A Matéria do Tempo, de Richard Serra. Cercada pelas montanhas bascas, esta cidade não se consegue expandir fisicamente, daí que algumas das novas atrações estejam em edifícios históricos. Dê um mergulho numa das praias próximas e depois absorva o sol primaveril no terraço do Alhóndiga construído no topo de uma adega de meados do século XX. Passeie para Oeste, ao longo do rio Nervión, e atravesse a ponte Vizcaya, património mundial da Unesco, desenhada por Alberto Palacio, um dos discípulos de Gustave Eiffel. A cidade velha, Casco Viejo, é uma bela confusão de baserri (edifícios parcialmente feitos de madeira) com vasos de geraniums que decoram as varandas. Las Siete Calles (as sete ruas) datam do século XV, assim como a extraordinária catedral gótica de Santiago.

Onde ficar?

Mesmo no centro da cidade velha, os 11 quartos do Caravan Cinema, transbordam um conforto tranquilo. Este edifício antigo assegura muita personalidade, refletida nos detalhes vintage, como os azulejos dos anos 50 ou os aparelhos de rádio históricos. O seu entusiástico dono fornece mapas marcados com os seus locais favoritos para comer pintxos. Algumas ruas à frente, no topo de um lance de escadas modesto, Basque Boutique adapta o folclore local como tema para os seus oito quartos irreverentes. Tijolos expostos e vigas de madeira possuem todo o charme de uma casa de campo. As esculturas no hall de entrada são inspiradas pela Floresta de Oma. Para ficar próximo do Guggenheim, experimente o Meliá Bilbao ou o hotel de 5 estrelas Gran Hotel Domine Bilbao do lado oposto ao museu.

Fachada do restaurante Casa Victor Montes

Onde comer e beber?

Os bilbaínos passam as suas manhãs de sábado e de domingo em txikiteos (percursos de pintxos) pela cidade velha. A Plaza Nueva é o núcleo da atividade, com vários bares feitos de tijolo e os terraços ao ar livre. Experimente a tempura de caranguejo no Gure-Toki e o bacalhau salgado na Casa Victor Montes ou o queijo de cabra em xerez manzanilla no Café Bar Bilbao, fundado em 1911. A maioria dos ingredientes vem do Mercado de la Ribera, que é o verdadeiro centro gastronómico de Bilbau desde a sua abertura em 1929. Vagueie pelos seus três pisos, experimente a charcutaria enquanto circula e vá conversando com os produtores locais enquanto bebe um copo de txakoli – um vinho branco ligeiramente espumante – num dos muitos discretos bares de vinho. O restaurante com estrela Michelin, Mina é o local perfeito para experimentar a gastronomia basca contemporânea e ainda receberá troco dos 65€ pelo menu de degustação, de sete pratos. Reserve com antecedência, uma vez que só há 25 lugares por serviço na sala de jantar mais íntima.

O artigo está incompleto, para ler a versão completa faça já a sua assinatura Food and Travel Portugal e peça a edição de julho 2017, gratuitamente, com o envio da primeira revista.

Veja outros artigos

Este website utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Assumimos que concorda com isto, no entanto pode optar por discordar. Aceitar Leia Mais