Início Novidades DÍNAMO ZAGREB

DÍNAMO ZAGREB

by Food and Travel Portugal
DÍNAMO ZAGREB

A capital croata é a face do país em mudança. É explosiva e acelerada, embora permaneça fiel às suas várias origens, como descobriu Clarissa Hyman.

Boom! Ou ‘bum!’, como se diz em croata. Todos os dias, às 12 horas, o antigo canhão Gric dispara um tiro, com um ruído estrondoso, a partir da Torre Lotršcak, na alta da cidade medieval de Zagreb.

Uma tradição que se cumpre diariamente desde 1877, interrompida apenas durante a Primeira Guerra Mundial. Porém, este não é um canhão vulgar numa cidade europeia vulgar. Este canhão tem a sua própria conta no twitter (@gricki_top), onde se escreve ‘BUM!’ todos os dias ao meio-dia.

Histórica, divertida, amigável, cosmopolita, rebelde, verdejante, arrojada: a capital da Croácia é uma cidade com várias facetas, sentido de humor e muitas surpresas. Até já a descreveram como a irmã mais nova de Viena. Possui grande parte da privacidade e precisão da capital austríaca e a arquitetura de Habsburgo, mas o vento do oeste dá-lhe um ambiente caloroso e genuíno que resulta num lado laissez-faire bastante atraente.

Teatro Nacional Croata

Comparações à parte, Zagreb tem um caráter próprio que mistura a serenidade com a excentricidade; o boho com o bourgeois. No entanto, há uma influência distinta de outras histórias – narrativas mais complicadas sobre política, guerras e identidade cultural. Os palácios em ruínas e os antigos ministérios soviéticos seriam o cenário ideal para um film noir, mas o seu restauro revela hoje uma cidade cor de mel, rodeada por uma faixa de parques verdes, praças requintadas e fontes agradáveis.

Depois de vários anos de instabilidade – e desde a independência do país e da sua entrada para a União Europeia – a maioria das pessoas guarda o dinheiro para se precaver de um problema financeiro, para aproveitar os pequenos prazeres gastronómicos da cidade e para suportar a sua equipa de futebol.

Zagreb é uma cidade pequena, onde a tradição, o classicismo e a contemporaneidade, andam facilmente de mãos dadas. Há restaurantes mais antigos e lugares altamente conceptuais, que podiam estar localizados em Londres ou Nova Iorque, assim como locais vagamente anárquicos cuja existência só está identificada por gatafunhos escritos em pedaços de papel.

Prepare-se para encontrar passagens debaixo de ruelas, subir escadas e atravessar pátios. É uma experiência quase de clandestinidade: atrás de cada esquina, surge o inesperado – talvez um museu excêntrico, um retrato místico da Virgem Maria datado do século XVIII ou um altar contemporâneo dedicado à cerveja artesanal ou a lendas do rock.

O rótulo ‘Balcãs’ é controverso. Para aqueles cuja bússola cultural tende para oeste, é um termo com conotações negativas. O escritor croata, Miroslav Krleža, disse outrora que o terraço do magnífico Esplanade Zagreb Hotel – construído em 1925 como abrigo para os passageiros do Expresso do Oriente – era o local ‘onde os Balcãs terminavam e a civilização começava’.

Claro que isto foi noutros tempos, mas hoje em dia o hotel ainda permanece um centro inigualável no cenário cultural de Zagreb. É aqui que as pessoas ainda se vestem para impressionar, que se realizam casamentos de estrelas do jet set e que a chef Ana Grgic serve um menu europeu sofisticado e moderno. O Esplanade é ainda conhecido pela sua versão da especialidade local struckli (bolinhos cozidos com queijo e natas). É a mais pura comida de conforto, o tipo de prato que nos deixa loucos para experimentar.

Mercado Dolac

Outras especialidades de Zagreb podem ser encontradas no Mercado Dolac, incluindo ajvar (um molho de beringela, pimento vermelho e cebola), chouriços e salames, como o cesnjovka com alho, o kulen da Eslavónia (o primeiro produto a ser protegido pela lei croata), noodles de ovo, cogumelos selvagens e o pão de farinha de milho, dourado e substancial, feito pela Sra. Slavica de acordo com uma velha receita de família. Também há embalagens de mlinci – um pão crocante, preparado para ser mergulhado no molho de um peru de Zagorje assado, uma espécie tradicional criada de forma quase selvagem, com uma carne forte e escura. O raro porco preto da Eslavónia também já começou a aparecer nos restaurantes mais sofisticados, como o Agava, onde é servido com pera, molho de gengibre e lentilhas negras de beluga.

Sementes de abóbora e azeite, vitela à moda de Zagreb, recheada com presunto e queijo, javali negro com chucrute, pato assado com molho de cerejas, queijo Liptauer, sopas perfumadas com paprika e cozinhadas com vegetais caseiros, outro testemunho da história austro-húngara da cidade; assim como as sementes de papoila, requeijão, avelãs, ameixas e maçãs em tartes e doces perfeitamente cozinhados e com sabores intensos.

Carpaccio de peixe-espada com pesto de citrinos, do restaurante Agava

O antigo controlo de Veneza sobre a Dalmácia e Ístria também é evidente, em pratos como a salada de polvo, peixe com batatas e acelgas e a prevalência de trufas, massa e gnocchi. Para uma influência italiana mais contemporânea, há o risotto com camarões do Agava, as urtigas, queijo burrata, carpaccio de peixe-espada com pesto de citrinos, alcaparras e caviar. Apesar de Zagreb estar localizada no interior, o seu mercado de peixe, debaixo dos dois pináculos da catedral neogótica, oferece as opções mais frescas de marisco ainda reluzente do Adriático.

Noutra influência histórica sobre a comida, o Império Otomano é relembrado com o burek (pastel) recheado e os kebabs de cevapcici (chouriço), assim como os magníficos soparnik, uma especialidade de Mario Cepek no seu restaurante Vinodol. Esta tarte enorme, recheada com queijo de cabra fresco, acelgas e cebolinho, é cozinhada entre as chamas de um forno a lenha, criando um resultado espetacular. No Pod Grickim Topom, por baixo do canhão e ao lado de um dos funiculares mais íngremes e estreitos do mundo, várias destas tradições juntam-se e dão origem à pasticada, um estufado de carne de vaca, marinada durante uma semana, e frutos secos, servido com gnocchi caseiro e geleia de ameixa.

Os interiores peculiares do Caffe Bar Finjak

A Croácia é um país de amantes de café e, em casa, muitos deles ainda o fazem à ‘moda turca’. Até há pouco tempo, os cafés não serviam comida; o destaque ia todo para o café excelente, agora realçado em estabelecimentos como o Eli’s Caffè e o Cogito Coffee, ao lado das várias tisanas de ervas que os croatas adoram beber. Não é raro ver clientes levarem consigo um pastel acabado de fazer numa das várias pastelarias excelentes da cidade para acompanhar o café. Porém, os visitantes mais velhos preferem beber o seu café e comer o seu bolo no grand café do Hotel Dubrovnik, com vista para a Praça Ban Jelacic.

Ainda assim, a Zagreb contemporânea é mais do que a soma das suas zonas históricas; é dinâmica, genuína e arrojada, com um olhar aguçado para o futuro. Os produtos tradicionais foram reinventados, desde o rakija (licor de fruta) até aos biscoitos de lavanda, laranja em conserva, sais de ervas e azeites extra virgem. As fábricas de cerveja artesanal começaram a aparecer em todo o lado como cogumelos porcini. Pequenos produtores biológicos exibem os seus produtos no ‘Little Market from the Attic’ (O Pequeno Mercado no Sótão), um evento que cresceu para fora da sua localização inicial, um mero apartamento.

As modas atravessam a cidade como os seus elétricos azuis. Há um calendário cheio de festivais e eventos de rua (para não mencionar um dos melhores mercados de Natal da Europa). Zagreb é como um videojogo em alta velocidade: graffitis exuberantes, transformados em arte de rua, condutores de segways, esplanadas, freiras devotas, beldades croatas de saltoalto, avós serenas, executivos de fato e gravata, adolescentes de patins… um cenário aparentemente confuso, mas onde tudo se mistura harmoniosamente.

Marija Klata Vasic, da Design Superstore

 

O design croata – nas roupas, nos interiores e na arquitetura, assim como na comida – é curiosamente arrojado e vanguardista, mas Marija Kata Vlašic´ , da Design Superstore, explica que o resultado criativo dos últimos anos ocorreu devido à conjuntura histórica. ‘No passado, foi difícil aos mais jovens ter uma voz por causa da política e da burocracia, mas hoje somos um país tão pequeno que precisamos de gritar bem alto as nossas capacidades,’ diz entusiasmada.

Igor Tomljenovic´ , do excelente Lari & Penati, representa uma nova onda de bistrôs que satisfazem uma procura de pratos modernos a preços acessíveis. ‘O que está a acontecer agora é uma combinação de jovens a viajar para o estrangeiro, cheios de ideias e a saber utilizar a tecnologia da cozinha,’ diz ele. Há sete anos, Igor foi o primeiro a trazer uma oferta informal para a cidade, acompanhada por uma escolha de vinhos croatas extraordinários e pouco conhecidos internacionalmente. Tal como várias pessoas daqui, ele é bastante descontraído quando se trata de combinar a comida com o vinho. O rosé é uma moda ascendente e um Roxanich, vinho com uma ligeira acidez mas bastante fresco, é o parceiro ideal para um pargo marinado ou um peito de pato fumado.

A Croácia dispõe de 64 variedades de uvas nativas, assim como algumas internacionais, e quatro regiões vinícolas principais. Entre as mais conhecidas estão a malvazija branca da Ístria, da adega Kozlovic´ ; os vinhos brancos feitos com graševina (também conhecida como ‘welschriesling’) na Eslavónia, que possuem um sabor mineral nítido e estimulante; tintos de teran ou prosek, perfumados, feitos segundo o método passito italiano. Uma nota histórica interessante é que a adega Ilocki Podrumi, no Danúbio, a segunda mais antiga da Europa, viu o seu vinho traminac a ser servido nas cerimónias da coroação e do jubileu de diamante da Rainha Isabel II, de Inglaterra.

A chef suíço-canadiana, Priska Thuring, do restaurante Dubravkin Put, segue a linha gastronómica da sua terra de adoção. Ingredientes como o fígado de ganso, o caranguejo-aranha, o rabo de boi, o brioche ou o choco definem o seu menu mediterrânico impecável, que reflete a vitalidade da cidade.

‘Há tantos chefs jovens em Zagreb, cheios de energia, preparados para arriscar,’ explica. ‘Os ingredientes são uma das razões para eu estar aqui. Não há assim muitos sítios na Europa onde se possa encontrar tão facilmente tomates, carne, peixe e vegetais fantásticos. Tenho produtos vindos de todo o país, como o borrego da ilha de Pag, mas também tenho pessoas a virem bater à minha porta para me venderem micro ervas ou outras iguarias fenomenais.’

Juntar todos estes fios é um indicativo de frescura e sazonalidade: no verão, por exemplo, as esquinas entre ruas tornam-se vermelhas, exibindo caixas de morangos suculentos e cerejas coloridas.

O vermelho é uma cor poderosa na cultura eslava: reflete a vida, a esperança e a emoção. A cidade é iluminada pelo branco e o vermelho dos pães de gengibre em forma de coração, exibidos em todas as lojas de lembranças, os trajes folclóricos alegres e cor de coral, os telhados de tijolo, os guarda-sóis do mercado, o interior garrido da Design Superstore, tão intenso como um coração que sangra, e os sapatos de salto cor de rubi, no comovente Museu das Relações Terminadas. Porém, a meu ver, encontrar o vermelho nas ruas de Zagreb não é o fim de um relacionamento amoroso, mas sim o princípio.

 

Clarissa Hyman e Mark Parren Taylor viajaram com a cortesia do Conselho de Turismo da Croácia e da Croatia Airlines

 

 

 


INFORMAÇÃO DE VIAGEM

Zagreb é a capital e a maior cidade da Croácia, situada no norte do país. A viagem dura cerca de 3h30 desde o aeroporto de Lisboa.

DICAS ÚTEIS

A moeda utilizada é o Kuna e o país tem uma hora a mais que Portugal. Em setembro a temperatura máxima ronda os 22ºC e a mínima os 10ºC.

COMO CHEGAR

A Croatia Airlines tem voos diretos de Lisboa para Zagreb, quatro vezes por semana.

FONTES DE INFORMAÇÃO

Turismo de Zagreb fornece toda a informação de que precisa para usufruir ao máximo a sua viagem.

LEITURA ADICIONAL

The Tiger’s Wife de Téa Obreht (Bertrand, 9,50€) é uma jornada fascinante através da história turbulenta dos Balcãs, que ocorre numa ‘cidade’ sem nome.
The Lady from Zagreb de Philip Kerr (Bertrand, 10,80€) é uma história de suspense sobre um polícia berlinense, na era do nazismo, que se apaixona por uma estrela de cinema jugoslava.

 


ONDE COMER

Os preços são por pessoa e válidos para refeições com três pratos e meia garrafa de vinho, exceto quando referido o contrário

Agava Ligeiramente acima da rua movimentada, o profissionalismo brilha em cada prato servido. Há um belo bife mediterrânico entre as diversas opções do menu, que vão desde o tagliolini com abóbora e gorgonzola até ao filete de dourada com uma emulsão de cebolinho e batatas sicilianas assadas. Desde 33€. Tkalciceva 39, 00 385 1 482 9826, restaurant-agava.hr

Dubravkin Put Este belo estabelecimento em madeira, oculta um interior altamente sofisticado e minimalista. Pratos incríveis incluem a sopa de camarão, um vitello tonnato (um prato italiano de vitela) desconstruído e pão doce com crosta de ervas aromáticas e pistácio. Tem uma lista excecional de vinhos. Menu degustação com sete pratos desde 55€. Dubravkin Put 2, 00 385 1 975 4834, dubravkin-put.com

Lari & Penati O nome provém de duas figuras religiosas romanas e o seu menu é alterado diariamente. Sente-se nos bancos altos, desfrute de uma grande diversidade de pratos leves, entrecosto e asas de frango, e depois acomode-se no seu novo bar de vinhos croatas mesmo ao lado. Um prato grande e meia garrafa de vinho podem custar desde 11€. Petrinjska 42A, 00 385 1 465 5776, laripenati.hr

Mali Bar Este bistrô é simples e pequeno e está quase sempre lotado de clientes ansiosos por experimentar os pratos da chef Ana Ugarkovic, uma estrela televisiva. A versão croata das tapas pode incluir patê de fígado de galinha caseiro e foie gras, bochechas de tamboril fritas com tempero tailandês e salada de agrião ou asas de frango picantes com tzatziki. Desde 28€. Vlaška 63, 00 385 1 553 1014

Pod Grickim Topom Frequentado por políticos e algumas personalidades internacionais (por exemplo, Hilary Clinton), o terraço é o local para se estar nos dias de Verão. A cozinha croata clássica e regional no seu melhor inclui uma vitela assada num peka (forno em forma de sino), risotto de camarão e dourada com molho de vinho branco. Desde 28€. Zakmardjeve Stube 5, 00 385 1 483 3607

Vinodol É um restaurante adorado pelos habitantes locais onde a comida nunca desaponta. As especialidades do centro da Europa incluem creme de porcini servido num pedaço de pão, borrego assado no espeto, vitela, bifes e truta com amêndoas. Também servem soparnik (tarte de queijo e acelgas) duas vezes por semana – certifique-se de que chega a tempo de prová-la. Desde 28€. Teslina 10, 00 385 1 481 1427, vinodol-zg.hr

Zinfandel’s O belo restaurante do Esplanade Zagreb Hotel possui um fabuloso terraço para comer ao ar livre. A chef Ana Grgic é uma das principais defensoras croatas da pesca sustentável e os seus pratos, como o peixe-galo com espuma de cenoura amarela e lentilhas pretas, são a prova disso. Menu degustação com cinco pratos desde 61€. Esplanade Zagreb Hotel, Mihanoviceva 1, 00 385 1 456 6666, esplanade.hr

 

 


ONDE FICAR

Esplanade Zagreb Hotel Descrito como opulento e luxuoso, este hotel de estilo art-noveau possui várias peculiaridades, como almofadas de penas de ganso, por exemplo. Pode também pedir um mordomo para o seu banho, se quiser. Duplos desde 112€. Mihanoviceva 1, 00 385 1 456 6666, esplanade.hr

Hotel Dubrovnik Situado na praça principal, possui uma larga variedade de quartos bem mobilados quer na sua parte nova quer na antiga. A segunda opção fornece a melhor vista. Duplos desde 152€ Ljudevita Gaja 1, 00 385 1 486 3555, hoteldubrovnik.hr

Hotel Jadran Um hotel arejado e reluzente numa boa localização. Quartos bem equipados com wifi gratuita. Duplos desde 64€. Vlaška 50, 00 385 1 455 3777, hotel-jadran.com.hr

Palace Hotel O antigo palácio foi o primeiro hotel de Zagreb, aberto em 1907. Os quartos possuem janelas largas e no hall há várias fotografias de celebridades autografadas. Duplos desde 110€. Trg JJ Strossmayera 10, 00 385 1 489 9600, palace.hr

Panorama Zagreb Hotel Um hotel de excelente valor mesmo ao lado da arena Dom Sportova, com uma vista sensacional. Duplos desde 75€. Trg Krešimira Cosica 9, 00 385 1 365 8333, panorama-zagreb.com

 


CAFÉS

Café U Dvoristu Aqui, o café vem da Cogito Coffee Roasters, mesmo na sala ao lado, mas também pode escolher entre os vários chás disponíveis. Concebido num pátio virado para o interior, a sua estética é minimalista e as pessoas mais discretas olham este sítio como um centro cultural. Jurja Žerjavica 7/2

Crafter’s Lav Zagreb Embora esteja perto da Porta de Pedra, seria fácil passar por este café e galeria de arte descontraídos, sem nos apercebermos da sua existência. O pequeno terraço é um refúgio ideal para os dias mais quentes. Opaticka 2, 00 385 1 492 2108

Divas Este pequeno estabelecimento boho-chic com um toque vintage, tem seguidores fiéis do seu café e bolos deliciosos. Vlaska 62, 00 385 91 461 5144

Eli’s Caffè Só há uma coisa no menu desta pequena loja de torra de grãos – café. Mas, uau, é divinal! Líder da revolução do café em Zagreb, a moagem é sensacional e é torrado no local. Ilica 63, eliscaffe.com

Kino Europa Café & Grapperia O Kino Europa foi construído em 1924 e ainda opera como cinema de arthouse. O seu café, que vai desde o hall até ao átrio e terraço, é um ponto de encontro popular e serve bom café, vinho, cerveja e licores de fruta. Varšavska 3, 00 385 1 487 2888, kinoeuropa.hr

 


GLOSSÁRIO

Ajngemahtec Sopa de galinha com dumplings (bolinhos)

Buhtle Brioche

Cuspajz s fasirancima Estufado de couve com carne picada

Grincajg juha Sopa com vegetais do mercado

Griz koh Bolo de semolina

Juha od buce Sopa de abóbora

Knedle sa sljivama Bolinhos de ameixa

Kravice sa zeljem Morcela com chucrute

Makovnjaca Torta de sementes de papoila

Purica s mlincima Peru com pedaços de pão

Rezanci s makom Noodles de sementes de papoila

Ricet s buncekom Estufado de aveia e feijão

Samoborska kremsnita Fatia de tarte de baunilha

Sir i vrhnje Queijo fresco com natas

Snenokle Farófias

Spek-fileki Estufado de tripas e bacon

Strukli Pastéis de queijo assados em natas

Zagorska juha Sopa de carne, cogumelos e batata, de Zagorje

Zganci s lukom i spekom Polenta com cebola e bacon

Zlevanka Bolo de farinha de milho

 


FESTIVAIS

Em setembro ocorre o Zagreb World Theatre FestivalFestival of World Literature e o International Puppet Festival. Para provar os sabores locais, o RujanFest, no Lago Bundek: são dez dias de gastronomia, vinho e música croata ao vivo.


 

Para mais artigos sobre viagens compre já a revista Food and Travel Portugal. Num quiosque perto de si.

Veja outros artigos