Home Novidades MÁGICO AZUL: UMA VIAGEM PELA ANTÁRTIDA

MÁGICO AZUL: UMA VIAGEM PELA ANTÁRTIDA

por Food and Travel Portugal
MÁGICO AZUL: UMA VIAGEM PELA ANTÁRTIDA

Com o mesmo tamanho da Europa, a Antártida é um dos últimos lugares por explorar no nosso planeta. Lar de poucos humanos, a sua paisagem mágica é um recreio para a vida selvagem, como testemunhou o fotógrafo Alex Bernasconi.

Com quase 14 milhões de quilómetros quadrados, o continente da Antártida é do tamanho da Europa, mas tem menos habitantes do que a mais pequena vila do interior do nosso país. Também é o continente mais frio, seco e ventoso e, devido à sua paisagem arenosa, é oficialmente classificado como um deserto (o maior do mundo). Mas isso não é problema para quem lá vive. Neste habitat remoto existem seis espécies de focas, sete espécies de pinguins e uma abundância de baleias tanto com dentes como com barbas e centenas de tipos de peixes e aves.

Os recursos são limitados e o ecossistema é frágil. Como estas fotografias sugerem, são os pinguins que se adaptam melhor a esta situação. Há cerca de 5 milhões de casais reprodutores de pinguins de barbicha, 2,5 milhões de pinguins-de-adélia e 240 mil pares de pinguins-imperadores – os favoritos de toda a gente.

Uma colónia de pinguins-rei estende-se para lá do horizonte

Não parecem ser os animais com o design mais prático. De facto, a sua locomoção é mais semelhante à de Charlie Chaplin do que à de um caçador, mas evoluíram de forma fantástica para sobreviver num dos climas mais desafiantes da Terra. O seu balançar é uma forma eficiente de se moverem – poupando 80% da energia necessária para andar. Isto permite-lhes percorrer distâncias de quase 100 km sem parar para comer ou para aceder à água quando esta está gelada e eles são impedidos de pescar. As suas patas cómicas são ergonómicas de uma forma inteligente. As garras afiadas permitem agarrar-se à superfície gelada e, quando estão na água, adaptam-se para criar menos resistência. Estão habituadas a apoiá-las quando nadam e, quando necessário, agem como um travão aquático, ejetado no momento certo para completar uma volta de 180º numa fração de segundo.

Estas colónias de pinguins são tão barulhentas como a hora de ponta no meio da cidade. O seu canto de acasalamento assemelha-se, musicalmente, a um grupo de homens embriagados; o seu percurso fica inundado de resíduos e dejetos à medida que eles vão tentando encontrar um parceiro. De seguida, embarcam numa caça subaquática frenética. Porém, são os seus movimentos cómicos e o aspeto carinhoso que fazem deles o animal favorito de pessoas de todas as idades.

Sabe-se que os elefantes-marinhos e os pinguins-rei têm altercações ocasionais, mas nenhum deles é predador

Ai daqueles que se atravessem à frente de uma foca-leopardo. Os maiores predadores dos pinguins são conhecidos por devorarem mais de cinco por dia. Podem parecer queridos e inofensivos, mas estes monstros com 380kg e 3,5m de comprimento estão sempre à procura destas aves para se alimentarem.

VIAJE ATÉ À ANTÁRTIDA

Aconselhamos alguns pacotes de viagens para poder ver os pinguins de perto.

APRENDA NUM CRUZEIRO

Embarque numa viagem a bordo do MS Hebridean Sky, que parte de Ushuaia, na Argentina, até à Passagem de Drake. Um passeio de dois dias na costa da Antártida permite ficar a conhecer a maioria da vida selvagem local, com a ajuda de especialistas. 14 dias.

FAÇA KAYAKING COM PINGUINS

Vista o seu fato de explorador e faça parte das aventuras de mergulho nas águas polares, de kayaking entre os icebergues e viaje num navio de expedição. 16 dias.

COLOQUE OS SKIS

A Steppes Travel pode levá-lo a passeios de esqui, snorkel e excursões a estações de pesquisa ativas e abandonadas. 15 noites.

Veja outros artigos

Este website utiliza cookies para melhorar a sua experiência. Assumimos que concorda com isto, no entanto pode optar por discordar. Aceitar Leia Mais