Home TravelEm seis paragens OSLO EM SEIS PARAGENS

OSLO EM SEIS PARAGENS

by Food and Travel Portugal
OSLO EM SEIS PARAGENS

Lizzie Frainier calçou os melhores sapatos e foi conhecer a pé uma cidade orgulhosa da sua arquitetura atraente e da culinária de alta qualidade.

1- Se gosta de aproveitar ao máximo o seu dinheiro, o final de abril é a melhor época para visitar a capital norueguesa. As tarifas dos quartos da cidade permanecem baixas no início da primavera e o clima começa a aquecer. Comece qualquer viagem com uma caminhada até à majestosa queda d’água Mølla, ao longo do rio Akerselva.

2 – À beira-mar, observe a casa de ópera com a sua arquitetura de vidro projetada para simular um bloco de gelo a flutuar nos fiordes. Não perca as visitas guiadas à oficina de fantasias. Esta é a casa do Ballet e Ópera Nacional da Noruega, por isso não deixe de reservar bilhetes.

3 – O Pjoltergeist deve estar no topo da sua lista de locais para jantar. É o preferido dos chefs locais para os seus jantares tardios, serve pratos asiáticos gulosos com um toque scandi. No porto, o Louise destaca-se pelos pratos simples de mar, como o alabote selvagem assado ou a sopa de peixe cremosa, com peixe-gato, salmão e mexilhões.

4 – Passe uma tarde a testar as microcervejarias e pubs de Oslo. Experimente uma das cervejas caseiras no Grünerløkka Brygghus ou opte pelo Schouskjelleren, onde estão disponíveis mais de 60 variedades de cerveja, como a excelente Cannonball

5 – Para uma viagem no tempo, visite o Fram Museum, onde poderá entrar no barco original das expedições polares de Roald Amundsen. Ao longo do Norsk Folkemuseum ao ar livre, existem mais de 140 edifícios reconstruídos, em tamanho real, retratando importantes períodos da história norueguesa.

6 – Para dormir, opte pelo The Thief se quiser um design peculiar e arrojado e janelas panorâmicas. A chave do seu quarto permite a entrada gratuita no vizinho Museu Astrup Fearnley, mas mantenha os olhos bem abertos para a arte original do seu quarto inspirada nas obras de Andy Warhol e Peter Blake.

Este artigo foi publicado na edição de março/abril de 2019 da revista Food and Travel Portugal.

Veja outros artigos